21 de out de 2012

Teatro sobre higiene bucal



SAÚDE BUCAL PARACRIANÇAS– SCRIPT TEATRAL

Personagens: 6 ou mais - de acordo com a disponibilidade dealunos.
Coreografia/Cenário: criados pela classe, procurando regionalizar o tema.
Música: cantiga de roda e outras canções.
Interação: o texto foi produzido para receber emendas, isto é, aceita novos diálogos, preferencialmente que refletem a linguagem oral da região.


(Cortina abre com várias crianças chupando pirulitos, rindo e dançando, no palco. Música alegre. Nisso entra Caco com a mão no rosto, morrendo de dor)

Caco – parem com essa bagunça. Estou quase morrendo de dor dente.
Menino – Que nada, chupa um pirulito que passa.
Caco – Mas dói muito.
Menino II – Toma, esse é de tangerina.
Caco (chorando) – Não, não quero. Quero minhamãe.

................ acrescentar mais fala ao texto de acordo com a sala deaula

(Caco sai, chorando. Fecha a cortina e abre de novamente. No fundo, Caco
conversando com a mãe)

Caco – Mãe, tá doendo.
Mãe (preocupada) – Isso é cárie, meu filho. Bem feito!... Não gosta de escovar os dentes.
Caco – Gosto sim.
Mãe – Gosta nada. Finge que escova. Só quando estou perto.
Caco – Ora, mãe.
Mãe – Amanhã, vamos ao Dr. Juca.
Caco – Mãe, como vou dormir com essa dor?
Mãe – Toma esse copo de água com açúcar. Você fica calminho, engana a dor e dorme.
Caco – Tá bom!

.................... acrescentar mais fala ao texto, de acordo com a sala de aula ......

(Caco deita numa cama improvisada, já com um lenço amarrado no rosto. Logo começa a remexer, remexer, remexer. Nisso entra os Furadentes fazendo a maior farra, gritando e cantando, cutucando o menino com uma espada de madeira, feita pelo alunos)

Caco – Não, não. Saiam todos.
Furadentes – Agora, carão, vamos morar na sua boca.
Caco – Na minha boca?
Furadentes I – Adoramos boca de criança que não escova dentes.
Caco – Mãe!... Maêêê....
Furadentes – Não adianta gritar. Estamos aqui para comer o restinho de dentes que ainda existe na sua boca cheia da cárie.
Furadentes II– Ah!... Adoramos cárie.
Furadentes III– Quanto maior, melhor!
Furadentes XV – Vamos, gente. Vamos cutucar os dentes do Caco!....

( A turma de Furadentes faz a maior farra em torno de Caco, que estava apavorado. Nisso entra Pastolim, todo de branco, bradando uma espada)

Pastolim (nervoso) – Fora!... Fora!.... cambada de vagabundos!
Furadentes – Gente! Gente! Zebrou, nosso maior inimigo ataca.
Furadentes I – Vamos cair fora.

............................................ acrescentar mais fala ao contexto

(Os Furadentes deixam o palco. Pastolim aproxima-se de Caco)

Pastolim (sorridente) – Sou Pastolim, amigo das crianças de boca limpa.
Caco – Muito prazer, Caco.
Pastolim – Pelo que vi, tem comido bastante doce e não anda cuidando dos dentes.

(Caco faz expressão de medo, assustado)

Pastolim – Não se assuste, só ataco os bichinhos da cárie.
Caco – Uff... Ainda bem!
Pastolim – Se quiser, posso ajudar a se livrar de uma vez por todas desse povinho mal intencionado.
Caco – Claro! Não agüento mais de tanta dor.
Pastolim – Você tem que me prometer uma coisa.
Caco – O que você quiser.
Pastolim – Usar fio dental e escovar os dentes pelo menos três vezes ao dia!
Caco (abrindo um sorriso)– Legal. Que mais?
Pastolim – Escovar a língua também.
Caco – A língua?!....
Pastolim – Sim! A língua... não sabia?
Caco – Juro que não.
Pastolim – Tem mais: não abusar de balas, chocolates, chicletes, refrigerantes... Essas delícias que cárie também adora.
Caco – Então, quando comer doces ou chupar balas devo usar fio dental e escovar os dentes, não é?
Pastolim – Sim, claro. Pode até comer doces, mas tem que escovar os dentes depois. Combinado?
Caco – Oba! Boa dica para saborear um bom brigadeiro!
Pastolim – Muito bem. Fique com esta escova de dentes e este tubo de fio dental. São armas poderosas para combater os agentes causadores da cárie.
Caco – E pasta de dente?
Pastolim – É importante também. Mas não abuse da quantidade. Use o mínimo: assim... assim... um bolotinha do tamanho de uma ervilha.
Caco – Só isso?
Pastolim – Sim. Pasta contém flúor que é bom para a gengiva e os dentes; o excesso pode manchá-los.
Caco – Ah, é?
Pastolim – Com certeza. Quanto ao nosso trato...
Caco – Não esquecerei.
Pastolim – De hoje em diante, cuide dos dentes ao acordar e após as refeições. Antes de dormir, capriche mais ainda. A higiene bucal é importante para saúde dos dentes e das gengivas. Aliás, se tivesse escutado a mamãe!...
Caco - Hummmmmmmm

( Os dois se abraçam, alegres. Pastolim sai e caco volta a dormir. Logo acorda assustado – música suave)

Caco – Minha escova!... Cadê minha escova de dentes? Cadê meu tubinho de fio dental? Cadê minha pasta de dentes?

(A mãe entra correndo)

Mãe – Que escova?... Que tubinho?... Que pasta? ...
Caco – Que o Pastolim me deu de presente.
Mãe – Presente!... Pastolim!... Que é que está falando, meu filho?
Caco – A senhora não entende, mãe. Do Pastolim, o amigo das crianças de boca limpa.
Mãe – Cadê esse tal de Pastolim?
Caco – Se mandou, mãe. Espantou os Furadentes de minha boca e, depois de me ensinar a cuidar dos dentes, me deu de presente a escova, o fio dental e a pasta.

(A mãe, com cara de quem entende tudo)

Mãe – Ah, sim. Ô gente, me lembrei. Enquanto você dormia, guardei tudo no armário do banheiro.
Caco – Que bom, mãe!... Vou cuidar dos meus dentes todos os dias.
Mãe – Isso mesmo, meu filho. Levante que agorinha mesmo vamos ao dentista. Só o doutor Juca para dar jeito na sua dor, eliminando as cáries dos seus dentes.
Caco – Tudo bem. Pastolim me disse que menino que não cuida bem dos dentes perde a guerra para os Furadentes. Fica feio, banguela e com bafo-de-onça.
Não é verdade, mãe?
Mãe (alegre) – Pura verdade!... Então vamos.

(Caco e a mãe deixam o palco, abraçados e pulando em roda – a cortina é fechada ao som de uma música jovial).

Créditos:Educação em foco e Welington Pinto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário